Diferentes tipos de jardins

à medida da sua moradia

A primeira coisa em que deve pensar é o uso que pretende dar ao jardim: se será para reuniões, se deseja plantar algum pé de fruta ou ervas, se será um espaço para brincar com seus filhos ou com os seus animais e inclusive para fazer desporto. Tendo em conta a sua função e distribuição, o design final do jardim será diferente. O design de jardins é a fase inicial de um processo de construção de jardins. Ele é concebido para ser exequível na posterior fase de implementação. A construção de jardins é a fase na qual se assiste ao florescimento do projecto.

Os jardins são uma parte de nossa casa que nos permite estar em contacto com a natureza sem necessidade de ir muito longe. Quando dele fazem parte flores, proporcionam uma agradável flagrância em redor da casa, ao mesmo tempo que tornam o espaço mais alegre e convidativo. Associado aos jardins está também a prática da jardinagem, que se revela uma ótima atividade para relaxar e apreciar as coisas simples e belas que com que a natureza nos presenteia. Ao longo dos séculos pessoas e povos foram adaptando os jardins à sua maneira, dando origem a vários estilos.

Os jardins ornamentais são e têm sido uma parte essencial do desenvolvimento humano desde à mais de 3.000 anos. Dada a sua importância, diferentes tipos de jardins têm proliferado através da busca de adaptação a diferentes climas e gostos. Ao longo deste post vamos falar brevemente de alguns diferentes estilos de jardins que existem, de forma a poder ter uma ideia mais concreta do que se assemelha ao seu gosto pessoal e à sua necessidade de espaço.

JARDINS VERTICAIS

Os Jardins Verticais são plantações modulares destinadas tanto a espaços interiores como a espaços exteriores, com várias camadas dispostas verticalmente. Concebidos em diversas dimensões, os jardins verticais adaptam-se a vários contextos espaciais e estéticos e consideram-se uma excelente solução para quem pretenda usufruir de jardins interiores. A disposição vertical economiza espaço e água. Munidos de um sistema de irrigação próprio os jardins verticais encaminham a água utilizada nas camadas superiores para as inferiores. Eles moldam toda a vegetação em paredes ou superfícies verticais e criam um ambiente com uma originalidade e beleza incrível. Quem vive num apartamento e não beneficia de espaço exterior para um jardim, pode recorrer à alternativa dos jardins verticais. Estes jardins não possuem muita variedade de flora, mas são muito simples de criar porque se baseiam no cultivo de apenas algumas espécies de plantas dispostas em vasos ou em sistema de green wall. Desta forma permitem alegrar qualquer espaço mais pequeno, tendo a vantagem da facilidade de manutenção e impacto positivo sobre o meio ambiente.

JARDINS de INVERNO

Você tem um Jardim de Inverno e quer aproveitar ao máximo este local? Um aspecto muito importante é a decoração, pois esta compõe-se de diferentes detalhes que, além de dar valor estético, conseguem criar um ambiente muito confortável e estimulante. Para decorar um jardim de inverno deve pensar na tendência que vai usar, ou seja, um jardim minimalista, rústico, romântico, vintage, chill out, de inspiração árabe entre outros. No fim de decidido o estilo, será preciso pensar nas cores a utilizar para pintar o jardim de inverno. Neste sentido, é necessário pensar no tamanho e na forma deste espaço para aproveitar todos e cada um dos cantos do jardim. Se o seu espaço for pequeno, o melhor será usar cores claras com as quais possa ganhar luminosidade e amplitude. Por outro lado, os tons escuros e as estampas muito chamativas só conseguirão deixar o seu jardim sobrecarregado, fazendo com que pareça mais pequeno do que é realmente. Como se trata de decorar um jardim de inverno que não estará exposto às alterações climatéricas, pode usar qualquer material. Madeira, por sua elegância e versatilidade, ferro para dar um toque rústico, mármore e pedra para as paredes por seu classicismo. Ao escolher os móveis de jardim convém optar por designs ergonómicos, funcionais, com rodas para movê-los comodamente, conversíveis ou inclusive dobráveis. Um elemento que não pode faltar no seu jardim são as flores e plantas. Se não tiver tempo para cuidar delas será melhor apostar por plantas artificiais, sem renunciar a este complemento. Ao decorar o jardim de inverno também não deve esquecer da iluminação, sendo importante que a luz esteja bem distribuída para evitar sombras e áreas sem luz. Resumidamente, um espaço onde possa viver momentos únicos de felicidade e em boa companhia.

JARDIM DESÉRTICO

Para quem gosta de jardins mas tem pouco tempo ou paciência para cuidar de plantas, pode optar pelo Jardim Desértico, caracterizado pela existência de várias espécies de plantas xerófitas, que são aquelas que desenvolveram uma capacidade de sobreviver com pouca água, como os cactos ou as suculentas. A sua forma é livre, tal como nos jardins ingleses, e predominam elementos simples como a terra e as pedras. O Jardim Desértico ou rochoso tem por objetivo reproduzir uma paisagem árida. Usando arbustos como buganvílias, que resistem ao calor e precisam de muita pouca água. Para além do mais, tem uma bela flor e folhagem durante todo o ano. Os jardins desérticos podem ser informais, temáticos ou até contemporâneos.

O Jardim Desértico Informal segue linhas orgânicas, como no estilo inglês. Neste jardim há poucos ou nenhum acessórios.

O Jardim Temático está relacionado com a cultura e as plantas xerófitas de um determinado país ou região.

O Jardim Desértico Contemporâneo é livre na forma e contém elementos ousados, como vasos, pedras e acessórios com formatos inovadores e materiais novos.

É um jardim que requer pouquíssima manutenção. Não exige regas constantes ou podas. São jardins muito ecológicos por economizarem a preciosa água. Além disso, dispensam agrotóxicos, pois são muito resistentes a pragas e doenças. As forragens com gravilha e areia são também muito importantes neste jardim. Elas trazem naturalidade ao espaço e realçam a bela forma das plantas.É um jardim marcado pela rusticidade e próprio para lugares inóspitos, com insolação direta e até mesmo com ventos fortes. Por esta característica é ideal para coberturas de prédios e para varandas ensolaradas.

JARDIM TROPICAL

Neste tipo de jardim predomina a vegetação exuberante, folhas grandes e espécies exóticas. Neste jardim temos a sensação de que o homem não interferiu muito na paisagem. Assim como no estilo inglês, o Jardim Tropical também tem caminhos de contornos naturais. Sua essência é descontraída e avessa a podas e simetrias. Plantas de cores vivas e formas esculturais como palmeiras, bananeiras, gengibres e orquídeas estão entre as muitas opções. Neste estilo também não podem faltar pedras, lagos ou fontes sempre com a aparência o mais natural possível. Estes jardins acabam por se tornar os preferidos de aves e insetos coloridos que acrescentam mais vida e beleza ao ambiente. Aqui os elementos como bancos, pérgolas, vasos, são bem-vindos, desde que se integrem harmoniosamente. Para isto dê atenção aos materiais e texturas que devem ser naturais ou boas imitações. Os equipamentos de iluminação podem ser discretos ou de aparência rústica.

JARDIM de ÁGUA

Os Jardins de Água são o tipo de jardim extremamente original e bonito. Como o principal elemento leva água, pode beneficiar das suas muitas propriedades. Se tem um jardim de tamanho suficiente é uma escolha impressionante. Apesar de ficarem trabalhos extraordinários o proprietário deste tipo de jardim necessita de dominar algumas situações, como: gestão das técnicas de drenagem para a limpeza da lagoa ou fonte e conhecimento de plantas e flores desses ambientes. Para um espaço suficientemente pequeno, este tipo de jardim seria muito evasivo.

JARDIM INDIANO

A paixão Mugal pelos jardins e o simbolismo foi herdado dos persas e podem ser vistos pelo uso constante de lagos em formas geométricas, fontes, percursos de águas e plataformas de pedra. Nos Jardins Indianos o espaço ao ar livre é muito valorizado para o descanso, a meditação e a contemplação. Usualmente um jardim deste género é caracterizado pelo uso de canais de água elevados. A maior parte dos jardins e paisagens indianos é muito associada com as construções. Para estudá-los somos obrigados a entender um pouco da história da arquitectura indiana. A maioria das construções que sobreviveram desde a época pré-islâmica foram templos. Isto ocorreu porque eram normalmente as únicas construções feitas de pedras, enquanto que as outras obras eram feitas de barro.

JARDIM ORIENTAL (Chinês e Japonês)

Os Jardins Orientais aumentaram a sua popularidade fora da Ásia nos últimos tempos e esta tendência tem vindo a criar ambientes fantásticos nos actuais jardins. Neste tipo de jardins estão as influências dos jardins chineses e dos japoneses. Eles têm uma grande influência Feng Shui que é um estudo da energia transmitida entre a natureza e o homem. Formas pequenas, relaxantes, equilibradas e circulares ou espaços “wave-like” são características únicas que os definem. Eles têm árvores e arbustos, principalmente. Plantas que possam viver por muitos anos, passando de pais a filhos. Herança e cultura. As árvores e muitos arbustos têm, na maioria das vezes, folhas caducas, que caem no Outono deixando o tronco desnudo, verdadeira escultura viva. É também no Outono que mudam a coloração e passam para amarelas ou vermelhas, antes de cairem, enchendo o chão de folhas coloridas, sendo um espetáculo para os olhos. O sentido de perenidade marca então o jardim oriental. Este tipo de jardim é adequado a todos aqueles que procuram serenidade e tranquilidade através de plantas, água, pedras e acessórios de jardim. Um lugar perfeito para a prática de meditação. Nestes jardins abundam elementos com fortes simbologias, como os lagos com as típicas carpas Nishikigoi-koi que representam fertilidade e prosperidade. São espaços de calma e reflexão. Neles, os aspectos visuais como a textura e as cores, são menos importantes do que os elementos filosóficos, religiosos e simbólicos. Através da arte do paisagismo consegue-se expressar a essência da natureza em um limitado espaço de forma harmoniosa com a paisagem local.

Alguns elementos são fundamentais no jardim japonês, entre eles pode-se citar:

  • O Sakura ou cerejeira ornamental
  • O Momiji-Gari ou Acer Vermelho
  • As lanternas de pedra
  • O lago e as carpas
  • Taiko Bashi ou ponte
  • As pedras das cascatas
  • O bambu e os adornos

JARDIM ITALIANO

No Jardim Italiano abundam as plantas frutíferas, trepadeiras, estátuas e fontes. São jardins verdadeiramente poéticos e românticos, assemelhando-se a uma forma de arte natural feita para ser apreciada pelos seus visitantes. O recurso a este tipo de adornos é apreciado num contexto bastante clássico e funcional. As cercas vivas conduzem os caminhos para os pontos principais de contemplação e combinam perfeitamente com estátuas de deuses e árvores frutíferas como laranjeiras e macieiras. Não pode faltar o elemento água, na forma de uma fonte, chafariz ou espelho d’água, normalmente o ponto central de contemplação do jardim. As plantas escolhidas devem ser de origem mediterrânea ou temperada, capazes de aguentar o frio e a seca, mas muito floríferas na primavera. Outros elementos também se unem harmoniosamente a este jardim, como vasos cerâmicos, esculturas, treliças, arcos, pontes, bancos, etc, sempre traduzindo um clima romântico e clássico.

JARDIM FRANCÊS

O jardim francês possui uma estrutura simétrica pura. O objetivo é proporcionar um espetáculo visual de contemplar os palácios e edifícios. A partir de inspiração italiana, os lagos e lagoas são novamente protagonistas, destacando os canteiros, pomares e árvores de fruto. Também conhecido como jardim clássico, o jardim francês é considerado o mais rígido e formal de todos os estilos, e se traduz em formas geométricas e simetria perfeita. Os caminhos nesse jardim caracterizam-se por serem largos e bem definidos, com cercas vivas e arbustos compactos, verdes e perfeitamente topiados. As pedras são pouco utilizadas e restringem-se a pedriscos ou lajes nos caminhos. As curvas francesas são muito utilizadas, de forma organizada e simétrica, sem jamais perder a formalidade. Aqui as roseiras, tulipas e azaléias reinam majestosas, colorindo e quebrando o ar bucólico e sisudo deste jardim. Mesmo assim elas são vistas apenas em canteiros delimitados ou em vasos e jardineiras. Os arbustos verdes, ciprestes e pinheiros também tem lugar de destaque neste jardim. E com topiaria, seu formato final deve ser simétrico. Devido à intensa necessidade de podas, o jardim francês é considerado de alta manutenção e custo. Ao contrário de outros estilos, o jardim francês exige adornar construções de estilo sóbrio e formal, sob pena de perder os seus objetivos.

JARDIM INGLÊS

Os chamados Jardins Ingleses tentam retratar um cenário pitoresco da natureza selvagem e bela. Neles abundam várias plantas de flor e arbustos grandes. Não existem regras paisagísticas, tudo é deixado ao acaso de forma a dar a ilusão de que se trata de um bosque sem intervenção humana. O Jardim Inglês é considerado como uma revolução, um manifesto contra os padrões rígidos e simétricos de outros estilos. Ele valoriza a paisagem natural, com formas curvas e arredondas tanto no relevo, como nos caminhos e na construção dos maciços e bosques. Neste estilo é fundamental a utilização de relvados extensos, com amplas alamedas. O parque não pode ser totalmente plano e as ondulações do terreno devem ser valorizadas. Formas geométricas ou retas não são permitidas. As árvores e arbustos são muitas vezes dispostas de acordo com o porte e a coloração, o que não impede a mistura ou a utilização isolada. As plantas floríferas e perfumadas de pequeno porte podem compor grandes e sinuosos maciços no meio do relvado. Outros componentes são bem vindos neste jardim, acrescentando charme e naturalidade, como árvores mortas, rochedos e pequenas colinas, construção de ruínas, clareiras, lagos, riachos, quiosques, etc. Devemos ter a sensação de andar por um bosque antigo e natural, com pouca ou nenhuma intervenção do homem.

JARDIM de ERVAS AROMÁTICAS

Também é possível ter um jardim com uma função bem utilitária e sem recorrer a uma área de terreno muito extensa. É o caso dos Jardins de Ervas Aromáticas, que nos proporcionam condimentos bem saborosos para os nossos cozinhados, ao mesmo tempo que perfumam de forma delicada a área em redor deles. Muito usados nos dias de hoje quer em formato de jardim, quer em formato de pequenos canteiros nas varandas das moradias ou apartamentos nas grandes cidades. Tendo em conta os diferentes estilos aqui mencionados, acaba por conseguir enquadrar algum que espelhe a sua forma de ser e o seu gosto pessoal. Pode até mesmo ter um espaço pequeno, mas se for bem enquadrado acaba por ter um espaço muito interessante e recorrendo a algumas técnicas pode fazê-lo parecer maior. De qualquer forma á que ter sempre em conta que a manutenção dos jardins é indispensável à longevidade dos espaços verdes. É de todo importante o seu acompanhamento. A manutenção, adaptada às características dos vários tipos de jardim e às particularidades dos proprietários, permitem manter ao longo do tempo elevados padrões de qualidade.

Qual o tipo de jardim que melhor define a sua forma de ser e estar na vida?

© Copyright 2017 Casema