Comprar ou arrendar,

eis a questão!

Se está indeciso sobre qual é a melhor opção para o seu caso, conheça as vantagens e desvantagens de comprar ou arrendar casa.

Cada vez mais se questiona “o que fazer “ em relação a uma moradia.

Comprar ou arrendar?

Essa é cada vez a maior dúvida das pessoas que pretendem uma moradia para morar e constituir família. Algumas não têm qualquer hipótese de comprar uma moradia, mesmo recorrendo ao crédito bancário, então as suas dúvidas ficam logo esclarecidas. Mas as que equacionam alguma destas probabilidades, é porque, regra geral, tem hipótese de poder recorrer a qualquer uma das alternativas apresentadas.

Na prática na prática, todos têm como vir a comprar sim! Na realidade o custo mensal de uma renda ninguém lhes tira, e nesse caso pode servir para compra de casa própria, a não ser que não tenham qualquer encargo com o local onde habitam. Ex: Em casa dos Pais, Casa emprestada, etc...

Tendo em conta os números dos Census 2011, elaborados pelo Instituto Nacional de Estatísticas, a maioria dos portugueses prefere comprar casa do que arrendar. Cerca de 73% do número total de alojamentos familiares clássicos, são ocupados como residência permanente em Portugal. Face à crise económica que se fez sentir nos últimos anos e o aperto em relação aos créditos cedidos pelas instituições bancárias, fizerem com que muitos portugueses optassem pelo arrendamento, como alternativa à compra de casa.

De qualquer forma o sonho de ter uma habitação própria não abandonou as famílias portuguesas e a concessão de crédito habitação tem aumentado. Para que tenha consciência dos possíveis cenários que o espera, conheça antecipadamente os prós e contras para cada uma das alternativas apresentadas.

ARRENDAR CASA

Vantagens:

1. Não paga impostos

Se arrendar casa não fica sujeito ao pagamento dos impostos que recaem sobre os proprietários de imóveis, ou seja fica livre do pagamento do IMT (Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas) e IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis). Apesar de este último ter um período de isenção de três anos, esta isenção só é concedida aos proprietários cujo rendimento anual do agregado familiar não seja superior a 153.300 euros e o valor patrimonial tributário da habitação não exceda os 125 mil euros. Além disso os consumidores que vivam numa casa arrendada poderão ainda deduzir no IRS 15% das rendas pagas aos senhorios até ao limite de 502 euros.

2. Não paga quotas de condomínio

Outra despesa de que fica livre é do pagamento de quotas de condomínio. Recorde-se que o pagamento do condomínio é da responsabilidade do proprietário, isto é, do senhorio. De qualquer forma convém verificar se fica estabelecido no contrato de arrendamento que o pagamento do condomínio seja suportado pelo inquilino, sendo que este valor deve ser abatido no valor da renda.

3. Mobilidade geográfica

Uma das vantagens de recorrer ao arrendamento é a possibilidade de poder mudar de casa mais facilmente. Tendo em conta que cada vez mais a residência é influenciada pelo local de trabalho ao optar por arrendar uma casa está a facilitar este processo. Convém recordar que é necessário apenas cumprir o período de aviso ao senhorio estabelecido no contrato.

4. Não necessita de pagar a manutenção do imóvel

Nos arrendamentos o senhorio é responsável por quaisquer obras ou reparações que sejam necessárias efectuar na habitação.

Desvantagens:

1. Não está a construir património

Uma das desvantagens do arrendamento advém do facto de estar a investir em algo que não vai ser seu. Ou seja é considerado um custo e não um Investimento. Quando sair da habitação não vai ver o dinheiro que gastou em rendas a gerar lucro, ou seja, não verá um investimento a longo prazo para um activo que se juntará ao seu património.

2. Tem que responder ao senhorio

No caso de viver numa casa arrendada lembre-se que qualquer tipo de alteração tem que ser previamente autorizada pelo senhorio. Se acontecer algum acidente ou der mau uso a equipamentos que já estejam na habitação o mesmo terá que acontecer.

3. No longo prazo pode gastar tanto dinheiro como se comprasse a casa

Se o seu objetivo é viver durante muito tempo na mesma casa é fundamental que faça as contas e veja qual o custo total no longo prazo com as rendas que terá de suportar e compare com os encargos totais que terá com a compra de casa. Só assim saberá qual é a solução mais barata no longo prazo. O pagamento da renda e das contas mensalmente pode levar a que não se consiga poupar para uma futura compra de casa.

4. Pode ser obrigado a mudar-se

Depois do contrato de arrendamento acabar, o proprietário do apartamento pode optar por não realizar um novo contrato. Neste caso, será obrigado a mudar-se e a procurar uma nova habitação, ou estar sujeito ao valor do aumento que o senhorio quiser renegociar no novo contrato.

COMPRAR CASA

Vantagens:

1. Constrói património

Ao comprar casa está a investir em algo que um dia vai ser verdadeiramente seu e encara a sua aquisição como um investimento a longo prazo. Desta forma estará a aumentar o seu património. É também um bem que pode deixar aos seus filhos, se for caso disso. Pode sempre vir a arrendar ou vender a casa mais tarde se passar por algum problema económico.

2. O seu património valoriza

Dependendo do ciclo económico, da evolução da dinâmica procura-oferta, da zona onde comprou a casa e das características do imóvel, poderá ver a sua habitação a valorizar ao longo do tempo. O mesmo acontece se efetuar obras de alargamento no caso de viver numa moradia ou o condomínio decidir construir uma piscina, por exemplo. No caso, mesmo que venha a suceder uma desvalorização no mercado local onde tem a casa, nunca é a perca total do valor pago nas rendas.

3. Tem liberdade para fazer as obras que entender

No caso de optar por comprar casa lembre-se que pode pintar e realizar pequenas obras no espaço que preferir. Ao adquirir uma habitação sabe que terá sempre esse porto de abrigo, e que não estará exposto aos planos do senhorio. De qualquer forma convém sempre recordar que existem regras para quem vive em condomínios.

Desvantagens:

1. Tem de suportar outros custos para além da prestação da casa

Lembre-se que ao comprar a casa terá de suportar vários encargos além da prestação mensal que paga ao banco. É o caso dos encargos com os registos da casa, dos impostos (como o IMI- liquidado anualmente e o IMT - liquidado no acto da compra), do condomínio, das obras de manutenção, dos seguros associados à casa, entre outros. Factor importante é que se construir a própria casa em terreno do qual já é proprietário, NÃO PAGA IMT no acto da compra. Na prática vai ajustar uma empreitada para a construção da sua moradia e não a compra de um bem já existente

2. Pode existir desvalorização do património

Se comprar a sua casa durante uma bolha imobiliária ou se a zona circundante apresentar sinais de descuido, criminalidade ou viver numa zona de cheias, existe a probabilidade de o valor da sua casa cair. Por conseguinte, se um dia quiser vender a casa, o preço a pedir vai ter que baixar e corre o risco de não conseguir vender a habitação pelo mesmo preço que esta lhe custou. Aqui a solução passa por ter de investir uma parte das suas poupanças para conseguir tornar a sua casa mais valiosa.

3. Precisa de ter uma boa poupança para pagar a entrada e os custos de transação

Actualmente, obter financiamento a 100% para a compra de casa é uma raridade. Na maior parte dos casos, o rácio máximo de financiamento é de 80%.Isto significa que para conseguirem obter crédito, os consumidores terão de ter uma poupança reservada pelo menos equivalente a 20% do valor da casa. O que nem sempre é fácil de conseguir. Imagine que está perante um imóvel avaliado em 100 mil euros: se o banco apenas lhe emprestar 80 mil euros, terá de colocar do seu bolso 20 mil euros para conseguir concretizar a compra. Aqui mais uma vez a Construção pode atenuar esta diferença, pois há muitas coisas que pode fazer para que consiga economizar na sua construção, utilizando uma administração direta bem controlada.

4. Fica “preso” a uma dívida durante décadas

Lembre-se que ao assinar um contrato de crédito habitação está a assumir uma dívida e um compromisso que no limite pode atingir os 40 anos. Sendo que durante este período de tempo pode ser incapaz de garantir todos os pagamentos do crédito habitação devido a situações inesperadas como desemprego ou doença, por exemplo. ( Existem algumas formas de minimizar estes riscos, como o caso de seguros que cobrem estas situações pontuais )

Depois de análise cuidada aos dados em cima mencionados.

Desta forma fica esclarecido que deve optar por arrendar quem pretende mudar de casa rapidamente, por questões familiares ou de trabalho, ou a quem não tiver um contrato de emprego estável, não conseguindo assim garantir o cumprimento de um empréstimo para aquisição de habitação. Alguns casos de arrendamento podem também ser a única solução, se as condições para compra a crédito forem demasiado onerosas ou se o empréstimo for, simplesmente, recusado.

Em relação à opção de compra implica normalmente que os proprietários residam nessa mesma casa durante um longo período de tempo, já que a venda do imóvel poderá não ser tão rápida quanto a saída de uma casa arrendada. Implica também ter estabilidade no emprego e que não preveja mudanças de localização por motivos profissionais. Esta opção é normalmente tomada por quem conseguiu poupar algum dinheiro, de modo a conseguir obter o empréstimo mais facilmente e com condições mais vantajosas.

Resumidamente, a aquisição de uma casa ou apartamento traz vantagens em termos de conforto, sabendo o seu proprietário que em condições normais, terá sempre um local onde residir, não estando exposto aos humores do senhorio. Já o arrendamento de uma habitação traz vantagens em termos de mobilidade, caso seja necessário mudar para um apartamento maior devido ao crescimento da família ou então mudar de localidade para correr atrás de um emprego melhor. A quantidade de empresas e de comércio em redor da habitação e a proximidade da família também podem ser pilares importantes na hora de escolher entre a compra ou arrendamento bem como os acessos da localidade e a distância a outros locais que ache importante para o seu dia a dia.

Alguma vez questionou a sua opção?

© Copyright 2017 Casema