Diferentes tipos de piso


Por vezes a escolha de um novo pavimento é algo excitante, mas por vezes um pouco desconcertante.

Há muito em que pensar pelo facto de existirem imensas opções, tipos de pavimentos e designer. Geralmente, todos temos uma ideia do que queremos, do que gostamos, etc...por vezes não temos é o conhecimento de todas as ofertas no mercado!

E foi a pensar nisso, principalmente em si, que a CASEMA decidiu fazer uma breve compilação de diferentes tipos de chão possíveis de usar na sua moradia!

A variedade de oferta de pisos é imensa, daí a nossa dificuldade em escolher pelos grandes vãos de lojas e armazéns que temos à disposição para escolha.

Face a esta situação e para que deixe de ter dúvidas e procure o seu produto em concreto avancemos com uma lista de diferentes variedades e modelos.

De certo que a partir deste momento irá ter o pavimento que necessita e deseja. Será uma boa forma de fazer as escolhas certas!


CERÂMICOS

(é importante conhecer o PEI - Resistência à Abrasão para a melhor escolha deste material face ao ambiente onde será aplicado)

Cerâmicas - As cerâmicas são o tipo de piso mais conhecido e usualmente aplicado nas construções. Existem em vários tamanhos (desde 20×30, 40×40, 60×60, 80×80, 100×100, etc.), texturas, qualidades e preços, podendo as mesmas serem usadas em áreas internas como externas da moradia. A facilidade de limpeza e manutenção também são características bem importantes dos modelos cerâmicos.

Porcelanatos - É um tipo de cerâmica muito compacta, onde cada peça é formada por um suporte e uma parte polida, semi-polida ou rústica. Esta última parte determina a cor e pode ser encontrada em muitas tonalidades. É produzido em massa única já na sua coloração e com matérias-primas nobres e com várias texturas, principalmente a imitar madeiras, mármores e granitos.

Pastilha - Este tipo de revestimento é clássico, dá-lhe um toque único em projetos de interiores, pois a variedade de acabamento, textura e aplicação torna a peça ainda mais valorizada. Se você só se lembra do revestimento na piscina, o uso pode ser surpreendente também como piso interno. A indicação de aplicação em ambientes não segue uma regra, mas como são peças bem pequenas, valorizam os espaços menores.


CIMENTO

Ladrilho hidráulico - A produção de mosaico hidráulico consiste em juntar pó de pedra, cimento, areia, tinta em pó e água e secos ao ar livre. Este tipo de revestimento tem produção artesanal. Se procura um acabamento com cores e estilo vintage, pode apostar em algum dos modelos de ladrilhos hidráulicos. Este material costuma ser indicada tanto para paredes, como para pisos, sendo que no chão garante um toque único. A resistência é uma das vantagens deste tipo de revestimento. As peças quadradas e pequenas costumam valorizar o ambiente, e podem ser utilizadas em diferentes divisões.

Lajetas - As lajetas em betão pré-fabricado são utilizadas para o revestimento de pavimentos exteriores. O material ideal para a pavimentação de vias pedonais, ciclovias, jardins e terraços, bem como o revestimento de coberturas de edifícios.

Cimento queimado - É uma solução indicada tanto para áreas internas quanto para áreas externas, para além de ser de baixo custo para pisos e se for bem executado confere um óptimo acabamento e uma óptima resistência. Este tipo de acabamento com um toque de decoração industrial tem chamado muito a atenção para quem procura um projecto inovador com características actuais.

MADEIRA

Piso laminado - A origem do nome deste piso deve-se ao facto dele ser constituído com lâminas de madeira.

Considerado um tipo de piso flutuante porque não é colado no contrapiso, mas sim assente sobre manta, em sistema de encaixe tipo click e presos pelos rodapés que são colados. Devido ao uso destes sistemas modernos de fixação isentos de cola que simplesmente encaixam, acaba por ser fácil de montar, e no caso de serem montados sem colar ao subpiso, podem ser desmontados sem provocar danos e pode-se começar novamente.

A instalação é um processo rápido e feito com muita agilidade. São considerados sustentáveis por serem de madeira de reflorestação. Para quem é apaixonado pelo acabamento em madeira, este material pode ser uma versão mais barata que o material nobre e com visual muito parecido. O facto de sair mais económico é devido ao piso ser feito a partir de madeira aglomerada.

A nível de limpeza é importante ter algum cuidado, pois este tipo de material não pode ser lavado com muita quantidade de água, e o ideal é usar no máximo um pano húmido.

Parquet - Facilmente se faz confusão deste tipo de piso com os tacos, mas a diferença entre tacos e parquet é o desenho formado no revestimento.

No parquet, as peças de madeira são instaladas formando um desenho maior (geralmente geométrico), como se fosse um quadrado com um desenho que se repete lado a lado.

Soalho - Para quem não dispensa o uso de um piso de madeira com tábuas corridas, o soalho é a opção perfeita.

Conferem muita beleza e conforto. Este tipo de revestimento é feito com madeiras nobres que são instaladas lado a lado, e podem ser fixados diretamente no contra-piso ou sobre uma estrutura de madeira, conhecida como barrote. No entanto, neste último caso, o piso costuma fazer um pouco mais de barulho conforme o andar e é necessário, para que isso não aconteça, colocar amortecedores entre o piso e o suporte na aplicação .

Tacos - Apesar de ter um visual mais antigo, o taco bem cuidado fica espetacular na decoração. No caso de pensar em arrancar esse tipo de piso, e se for de madeira nobre, reconsidere, afinal com manutenção adequada e até mesmo uma nova camada de verniz podem valorizar e muito o visual das pequenas peças de madeira que são instaladas no chão. Este tipo de piso foi em tempos um sucesso, actualmente são utilizados em ambientes mais específicos e possuem um custo elevado.

Bambu - Mais uma opção a esse tipo de piso, que tem uma boa resistência, até mesmo maior que a da madeira, e que garante o visual da madeira no chão. O revestimento de bambu varia de acordo com modelos com ou sem brilho e até mesmo nas cores, que podem se assimilar do tom natural do bambu ou ganharem coloração artificial.

Cortiça - Para quem está disposto a um projeto sustentável, já pode incluir esse revestimento na sua lista de opções; já que a origem natural e renovação do material faz com que o item ocupe esse espaço entre as opções que valorizam o meio ambiente.

São inúmeras as vantagens deste tipo de piso, como isolamento térmico e acústico, resistência a fungos e bactérias, conforto e aconchego, e durabilidade. No entanto, por ser um material maciço é preciso cuidado com móveis muito pesados sobre a superfície e até mesmo com animais de estimação que podem danificar o revestimento.


PEDRAS NATURAIS

Granito - O granito é uma pedra muito indicada para pisos devido a sua beleza, resistência e durabilidade.

A pedra natural é marcada pela alta resistência, o que valoriza a aplicação do piso até mesmo em áreas de grande circulação, como a sala. Além de ser muito resistente, este tipo de revestimento também é conhecido pelos tipos e cores, e o facto de ser prático de limpar. A aplicação pode ser feita em qualquer divisão interna da casa, inclusive na casa de banho, já que o material tem baixa absorção de água e é resistente a manchas. Possuem várias tonalidades e quanto mais raro mais caro.

Ardósia - O tipo de piso em pedra ardósia já foi moda nos anos 80 devido à sua durabilidade e baixo custo.

Pode ser utilizado em pisos interiores e exteriores (quando molhado é bastante escorregadio). O resultado da colocação deste tipo de piso é bastante agradável, mesmo dentro de uma moradia, mas se o ambiente for muito pequeno, a cor mais escura pode dar sensação de espaço menor, por isso o ideal é aplicar este tipo de solução em áreas amplas e com boa iluminação. No entanto, a desvantagem está em relação a limpeza da ardósia, que precisa de cuidados específicos.

Mármore - Os tipos de mármore são traços marcantes deste tipo de revestimento, já que a variedade de cores e preços permite adaptação a diversos estilos de projetos.

A beleza do material não causa dúvidas e o piso acaba por criar um ar mais sofisticado ao projecto. Mais usado em ambientes de interiores, pois o piso molhado é bastante escorregadio. Este tipo de pedra tem uma coloração mais uniforme e formação de veios definidos.

Calçada Portuguesa - Este tipo de piso é muito comum ser usado no exterior de uma moradia e feito com o nosso calcário português de cor branco e preto. A execução do trabalho é bastante moroso porque cada pedra é assente uma a uma pelos famosos calceteiros.

Pedra São Tomé - A pedra São Tomé é um dos melhores acabamentos para valorizar uma moradia confeccionando-lhe um excelente acabamento.

Tendo isto em conta é necessário que se use de forma correcta para aproveitar tudo de bom o que este material pode oferecer. Este material tem acabamento rústico, o que faz com que o imóvel tenha um acabamento diferenciado em relação a outros imóveis.

Manta vinílica - A manta vinílica também é fabricada através da resina do PVC, mas ao contrário do piso vinílico, este piso é como uma manta que é esticada na superfície a ser revestida. O revestimento permite uma série de acabamentos, que podem variar em modelos com ou sem brilho, não se notando a junção entre as peças. Existem acabamentos que simulam a madeira ou cores coloridas. A vantagem deste tipo de material é a facilidade de limpeza e possibilidade de aplicar em áreas húmidas, como casas de banho, cozinha e lavandaria.

Piso vinílico - Este tipo de revestimento é feito a partir de resina de PVC, podendo ser uma opção para quem quer um estilo de acabamento em madeira. O acabamento assemelha-se muito ao piso laminado e à madeira. A aplicação é feita com o encaixe das tábuas lado a lado. Além disso, a limpeza também deve evitar água e este piso não é indicado para divisões molhadas como as casas de banho. São aplicados com o sistema click macho-fêmea sobre manta, sendo óptimos para soluções com pouco uso.

Para além dos grandes grupos mencionados anteriormente, podemos ainda salientar alguns produtos únicos e individualizados.

Alcatifa - A alcatifa já foi muito utilizado outrora. No entanto, se procura um ambiente aconchegante para quartos e salas, talvez seja a altura de reconsiderar o uso deste revestimento. Para além de ser ideal em relação ao isolamento acústico, a alcatifa ainda dá uma beleza incrível ao ambiente. No entanto, se sofre de alergias convém que a sua limpeza seja mais frequente.

Resina Epóxi - Esse tipo de revestimento é feito a partir da resina que é aplicada no chão e ao ser misturada com outros agentes, endurece e forma uma camada com brilho e sem junções. Este tipo de solução pode ser aplicado sobre um piso já instalado. Uma das suas principais características é o aspecto de acabamento moderno que dá ao piso. Entre as vantagens, está a facilidade de limpeza e a variedade de cores.

Silestone - Silestone é um material composto por cerca de 94% de quantidade de quartzo, outros minerais em menor escala, resina de poliéster e pigmentos. O facto de ser a maioria da sua constituição em quartzo acaba por lhe proporcionar uma dureza e resistência extraordinárias. A sua porosidade é nula, possui várias texturas e o seu custo pode ser muito elevado.

Tijoleira - As Tijoleiras em barro ou grés são um material rústico, intemporal e nobre, fruto da generosidade e beleza da natureza. è um produto 100 % natural, fabricado com os três elementos da natureza – terra, água e fogo. Este material apresenta uma grande resistência, com características eternas que pode ser aplicado em interiores e exteriores.

Vidro - Este tipo de piso é sinónimo de modernidade! Em termos de acabamento é a escolha perfeita para quem quer dar um toque especial e de leveza ao chão. Se você tem dúvidas em relação a instalação e segurança das placas de vidro, saiba que com a contratação de um profissional especializado, com estruturas metálicas certas e que respeitem o peso, extingue qualquer tipo de risco. O uso do vidro no chão pode ser em diferentes ambientes, mas a ideia de colocar um fundo para admirar é uma excelente opção, criando mais privacidade na eventualidade de existir uma divisão aberta por baixo. Não esquecer de colocar uma película para não deixar a superfície escorregadia.

Depois de ler toda esta informação, partilhe connosco...

Qual o tipo de piso que mais o deslumbra e onde o irá aplicar?