Qual o comportamento da sua casa

em caso de incêndio?

Isto parece estranho, mas não é uma questão de a casa arder ou não, é uma questão de quanto tempo ela se aguenta sem colapsar em caso de incêndio. Esta é a verdadeira questão!! Regra geral, não são as paredes que ardem, mas sim todo o recheio da moradia. Este sim, faz com que o fogo possa ter maiores ou menores dimensões.

Escolher o material para construir ou reformar uma casa é a base para o conforto, qualidade, sustentabilidade, custo-benefício e design.

Para fazer face a todos estes critérios, tanto o tijolo quanto a madeira podem ser duas opções quer práticas quer belas. Qualquer uma delas tem uma variedade de cores, acabamentos, tratamentos e estilos.

Você pode construir uma casa toda de tijolos, uma casa de painéis de madeira, uma casa de madeira ou fazer uma combinação entre os materiais.

Mesmo em situação de reformas, escolher entre um e outro material é essencial para garantir uma decisão inteligente e que garanta ser a melhor decisão a longo prazo.

Neste artigo abordar-se-á essencialmente o comportamento da madeira, mas não só.

Utilização da madeira na construção civil

A madeira enquanto material da construção civil apresenta um conjunto vasto de vantagens em muitos factores específicos. Algumas dessas vantagens resultaram do aparecimento de novos derivados de madeira como é o caso de contraplacados, lamelados colados ou aglomerados.

Paralelamente, o melhor conhecimento das propriedades da madeira permite prever novas perspectivas para uma maior e mais efectiva aplicação da madeira na construção civil.

Ao nível da resistência mecânica, a madeira é reconhecida pela sua capacidade de resistência à tracção (ao contrário do betão) dando como exemplos de peças solicitadas por estes esforços, o pendural das asnas, e pela boa resistência à compressão, onde os pilares são bons exemplos para estes esforços. Também em relação à flexão e ao corte, a madeira é cerca de dez vezes mais resistente que o betão.

Além das propriedades estruturais, a madeira possui características extremamente boas de isolamento térmico e acústico, em geral no lenho mas também na casca como é o caso da cortiça, que é um material leve, de baixa massa volúmica, conseguindo uma óptima relação entre a capacidade de suporte e o peso.

Quanto ao seu aspecto natural, existem poucos materiais utilizados na construção civil com uma tão vasta gama de padrões, cor e aparência estética global.

A madeira existe em grandes quantidades e renova-se naturalmente. Contudo, com a apresentação deste conjunto de vantagens não se pode cair na tentação de ficarmos com a ideia de que a madeira é o material ideal a utilizar, pois como todos os outros materiais, esta também possui algumas características que representam aspectos menos positivos com significado, de que se destacam os factos de ser combustível e vulnerável a agentes biológicos e atmosféricos, pelo que necessita de cuidados ao nível da preservação, não esquecendo que é um material heterogéneo e anisotrópico, variando significativamente de dimensões consoante as oscilações de humidade e temperatura dos locais onde está inserida.

Comportamento e Resistência da madeira sob a acção do fogo

A madeira é um material mau condutor térmico, ou por outras palavras, a madeira tem baixa condutibilidade térmica, o que se torna uma importante vantagem em relação a outros materiais, dificultando assim a elevação da temperatura em zonas contíguas às que se encontram em combustão e evita a dilatação excessiva da estrutura.

Isto acontece devido às células que compõem a madeira. Elas contém elevada proporção de celulose, e a estrutura dos tecidos que a constituem permitem o aprisionamento de inúmeras massas de ar no seu interior, funcionando como um conjunto isolante.

A condutibilidade térmica para qualquer espécie depende do peso específico e do teor de humidade contido na peça de madeira. Quanto mais alto for o peso específico e o valor da humidade maior será a capacidade da madeira em conduzir calor. Assim, as madeiras secas com um teor de humidade constante apresentam melhor desempenho como isolante.

A combustão do material superficial produz uma camada carbonizada que se torna um extraordinário isolante, a qual dificulta a transmissão de calor e a progressão do fogo para o interior. Essa mesma camada carbonizada (carvão de madeira) tem uma condutibilidade térmica de cerca de 1/6 da madeira maciça o que explica as propriedades isolantes da camada carbonizada.

Sob a camada carbonizada existe a uma outra camada com aproximadamente 5 mm de espessura na qual a madeira está alterada mas não completamente decomposta, designada por camada de pirólise, encontrando-se a restante parte da secção a uma temperatura baixa, onde se mantém as capacidades mecânicas originais, contribuindo para a resistência da estrutura.

A madeira mesmo a altas temperaturas conserva durante algum tempo uma secção residual, denominada de secção útil, que se mantém fria, mesmo a uma pequena distância da zona em combustão, e que conserva as propriedades físicas inalteradas.

A resistência ao fogo da madeira exprime-se, em traços gerais, como sendo a capacidade, medida numa escala temporal, para resistir à actuação do fogo plenamente desenvolvido sem ocorrência do colapso da estrutura.

Pode-se então entender a resistência ao fogo como sendo o tempo, em minutos, durante o qual um determinado sistema construtivo mantém, em condições de fogo normalizado, as exigências que lhe são solicitadas em termos de resistência.

Para muitos uma casa de madeira é melhor para morar em caso de incêndio, para outros a de alvenaria. Mas ambas têm vantagens e desvantagens e é isso mesmo que se vai tentar esclarecer neste post. Ver-se-ão brevemente abordadas as vantagens e desvantagens para as duas situações mencionadas.

Vantagens de uma casa de madeira

Normalmente, casas de madeira tem um custo mais acessível do que casas de alvenaria. Estes tipos de casas são bastante fáceis de trabalhar, além do material ser mais leve. Em geral, a madeira é mais conveniente, especialmente em certas configurações. Em áreas onde sedimentos se acumulam, propensas à erosão, e o clima é muito seco, a madeira torna-se uma melhor opção porque esses sedimentos danificam a alvenaria, enquanto a madeira consegue resistir melhor, inclusive ao vento.

A madeira é também um ótimo isolante térmico. Nas noites frias é mais fácil manter o calor do seu corpo tal como manter-se quente. Como a madeira absorve a humidade, é um condicionador de ar natural.

Outra vantagem considerável é que a madeira é mais flexível do que os tijolos e pedras da construção em alvenaria. Isso faz da madeira um material mais fácil trabalhar, principalmente quando o projecto tem um design incomum. Alguns tipos de madeiras são capazes de libertar terpenos, uma substância que acalma a mente e o corpo, sendo conhecido como o “efeito de banho de floresta”.

As reparações e a manutenção de uma casa de madeira, mesmo em caso de problemas estruturais, são bem mais baratos de consertar do que em situações das casas de alvenaria. Desde a rede de esgotos, rede eléctrica, acabamentos, troca de madeira danificada, tudo fica mais económico numa construção em madeira. A título de conclusão, vem o tempo de construção de uma casa de madeira que é mais rápido do que uma casa de alvenaria.

Desvantagens para casas de madeira

O desgaste da madeira através dos anos é o maior motivo que leva as pessoas a preferir casas de alvenaria. Não que em Portugal se tenha de preocupar com as térmitas, mas é sempre importante haver alguma preocupação com a hidratação da madeira, exactamente para evitar o desgaste da mesma.

Intrinsecamente ligadas ao excesso de humidade encontram-se as patologias associadas à ação de fungos e insectos. As madeiras usadas em estruturas apresentam elevada resistência ao ataque de insectos xilófagos (insectos que roem ou se alimentam da madeira), no entanto, quando não tratada devidamente, a madeira pode apodrecer devido à exposição de humidades e sofrer acção de fungos e insectos.

Embora sendo um material combustível, a madeira apresenta um bom comportamento face à ocorrência de incêndio na medida em que apresenta uma combustão previsível e, ao contrário de outros materiais, não perde a função estrutural.

Vantagens de uma casa de alvenaria

A realidade é que em Portugal as casas de alvenaria são mais valorizadas por motivos culturais. Isso torna mais fácil a venda de uma casa quando chegar essa hora. Até porque, hoje em dia, existe uma vasta gama de oferta de tijolos/blocos feitos com os mais diversos materiais. A alvenaria também é óptima para o tempo frio, porque os tijolos retém o calor natural e permanecem quentes por algum tempo.

Os tijolos da alvenaria protegem a sua casa de danos durante tempestades particularmente agressivas. A alvenaria é à prova de térmitas e igualmente durável durante um longo período de tempo. Para além disso, a manutenção da alvenaria e seu acabamento consiste, geralmente, em remover a tinta existente e pintar com uma nova tinta.

Como as construções de alvenaria são estáveis, quando feitas com material de boa qualidade, as estruturas centrais e de sustentação para os tijolos podem durar centenas de anos, se receberem a devida manutenção periódica também.

Se a casa for feita com peças pré-moldadas em betão e aço, a construção é relativamente rápida e segura. Estruturas feitas com pedras são mais lentas, mas estão entre os materiais mais confiáveis e resistentes no mundo da construção.

Desvantagens para casas de alvenaria

As desvantagens do tijolo estão largamente relacionados com a qualidade dos materiais utilizados em geral. Este material é mais caro do que a madeira, salvo excepções. Ele não pode ser demolido ou movido facilmente. Em zonas húmidas e onde há uma certa variação na temperatura, o tijolo pode ser vulnerável a bolores, porque ele expande e contrai com temperaturas frias, e possui poros onde o bolor se pode acumular.

Quando um tijolo é partido, rachado, danificado ou queimado, pode precisar de substituição e reparos que precisam de uma nova argamassa, reboco e acabamento. Essa situação é ainda mais real quando há problemas com infiltrações, canos ou com a rede eléctrica, pois estes estão geralmente embutidos no tijolo ou no betão.

No que toca a incêndios, uma casa de alvenaria com o ferro que tem nas paredes tem um comportamento diferente e irreparável, ou seja com a alta temperatura de um incêndio o ferro dilata e as paredes racham e caem. Isto porque, o que dá verdadeiramente resistência ao conjunto, ferro e betão, é o ferro que está incorporado no betão.

Mesmo com temperaturas não muito elevadas, o ferro perde a resistência e o seu módulo de elasticidade e o peso do betão provoca o colapso da estrutura, pois houve uma redução da rigidez. O ferro pode não derreter mas perde a sua capacidade de resistência. O único resultado é a reconstrução.

Os elementos de construção devem atender a certos requisitos, antes do incêndio cumprindo as seguintes condições:

a) Estabilidade / Capacidade de suporte;

b) Ausência de emissão de gases inflamáveis pela face não exposta ao fogo;

c) Estanqueidade à passagem de chamas e gases quentes;

d) Resistência térmica suficiente para impedir que na face não exposta se alcancem temperaturas superiores às estabelecidas pelos regulamento.

Todas as construções devem ser concebidas e construídas de tal maneira que, no caso de um foco de incêndio:

a) A resistência ao fogo possa ser assumida por um determinado período de tempo;

b) A geração e propagação do fogo e do fumo dentro da obra sejam limitadas;

c) A propagação do fogo às construções vizinhas seja limitada;

d) Os ocupantes possam abandonar o local ou ser resgatados por outros meios de forma segura;

e) A segurança das equipas de resgate seja levada em consideração.

Para finalizar, em caso de incêndio, é preferível estar numa casa de madeira. Uma estrutura de betão vai colapsar muito mais cedo e, se forem feitas como a maioria é feita, ainda mais depressa colapsa, porque os recobrimentos não são respeitados e o ferro fica demasiado à superfície, tornando toda a estrutura mais vulnerável em caso de incêndio. O ferro pode não derreter, simplesmente perde a capacidade de resistência, ao contrário da madeira que demora muito mais tempo até chegar a esse ponto.

Para as casas de madeira, o receio de incêndios, é apenas mais uma questão que infelizmente a maioria das pessoas alega, só que comprovadamente, existem testes que demonstram que uma casa de madeira resiste muito mais tempo ao fogo e com menores danos que uma casa de alvenaria.

Fica a questão: Sente-se realmente seguro na sua casa?

© Copyright 2017 Casema