Matéria Prima

A Natureza sempre forneceu todas as matérias – primas necessárias para a humanidade construir as suas civilizações. E continua a desempenhar esse papel.

Desde os tempos mais remotos, a madeira tem contribuído decisivamente para o desenvolvimento da humanidade.

A razão deste destaque, no meio de tantos outros materiais, vem da quantidade de propriedades e características inerentes à madeira: Facilidade de manuseamento e processamento, elevada resistência mecânica em relação ao peso próprio, bom isolamento térmico e eléctrico, bom desempenho em ambientes progressivos, aliados à variedade de cores e texturas apresentadas pelas mais diversas espécies.

A Natureza acumula e organiza informações de modo a reproduzir suas experiências. Cada árvore, cada animal, cada pedra, é consequência de um esmerado ofício que perpétua a criação, o invento.

Quando o homem descobriu esses mecanismos naturais, usando as matérias – primas disponíveis, inventou a tecnologia.

A reprodução do fogo, dos abrigos, dos objectos de defesa e da comida, por exemplo, fizeram com que a humanidade sobrevivesse e se multiplicasse como espécie capaz de assumir a administração do planeta.

A CASEMA – Casas Especiais de Madeira, trilhou um caminho muito semelhante ao dessa história, na evolução dos seus negócios. E descobriu uma tecnologia natural. Partiu da madeira para construir casas, com um método próprio, e pretende continuar nessa direcção para que muitos Europeus construam as suas próprias casas.

E, ao mesmo tempo, usa os conhecimentos adquiridos para que a madeira continue a ser uma alternativa absolutamente natural para a construção de residências, escritórios, escolas……… .

A CASEMA extrai e industrializa a sua matéria – prima das florestas naturais da Amazónia, que é a maior região do mundo produtora de madeira de todos os tipos e para qualquer finalidade, tais como: Construção civil e naval, fabricação de papel, álcool, carvão, extracção de óleos e essências, etc.; e ainda utiliza madeiras mais macias como o Pinho Oregon ou Pinho Americano.

Uma das limitações para a utilização do recurso florestal da Amazónia tem sido o desconhecimento das suas potencialidades e das implicações que podem ocorrer com a sua extracção.

A qualificação e a quantificação da biomassa devem ser cuidadosamente inventariadas, assim como o sistema e os ciclos de colheita, antes de iniciar qualquer intervenção. Utiliza-se um programa de Produção Sustentada.

É comum nas empresas de construção de madeira a utilização misturada de diversas espécies de madeira num só componente da casa, como as pranchas de parede. É de suma importância que isto não ocorra devido às diferentes formas de trabalho de cada tipo de madeira.

Uma casa feita exclusivamente com paredes da mesma espécie, como na CASEMA, propiciará uma uniformidade no comportamento da casa, evitando-se desalinhamentos e diferenças nas alturas das paredes, bem como um acabamento homogéneo e visualmente muito mais agradável.

Utilizamos madeiras do mais alto padrão de qualidade, seleccionadas para uso específico em casas; espécies com baixo índice de contracção, tais como exemplo a Tatajuba, o Angico Preto, a Maçaranduba ou a Grápia, ou seja, espécies de madeiras que trabalham ou se movimentam muito pouco.

A grande vantagem disso reflecte-se na manutenção da residência, pois reduz-se significativamente a possibilidade de abertura de frestas nas paredes durante o processo de aclimatação das pranchas no local de construção da casa.

Quando construímos com madeiras mais macias, como é o caso do Pinho Oregon ou Pinho Americano, utilizamos o sistema de “frame” para fazer toda a estrutura da casa, e temos o cuidado de proteger todas essas madeiras para que não fiquem expostas ao tempo de forma a que as mesmas nunca venham a sofrer de acelerada degradação.

O potencial de aplicações da madeira, segundo suas principais características de resistência, de beleza, de facilidade de processamento, é interminável.

© Copyright 2017 Casema