Perguntas Frequentes

1 – Porquê casa de madeira?

2 – A casa de madeira arde?

3 – O conforto acústico é bom?

4 – Preciso de mão de obra especializada?

5 – Posso fazer meu próprio projecto?

6 – Quais as inovações nas casas Casema?

7 – Quanto dura uma casa de madeira?

8 – O que vem a ser madeira nobre?

9 – Uma casa de madeira é segura?

10 – Quando chove pode entrar água?

11 – Devo pintar ou envernizar a casa?

12 – A casa de madeira é realmente mais barata que a de alvenaria?

13 – Uma construção em madeira é um bom investimento?

14 – Demora muito para construir uma casa de madeira?

15 – De onde vêm as madeiras de que são feitos os kits?

16 – Casa de madeira está sujeita ao ataque de bichos?

17 – A madeira apodrece sob efeito da humidade?

18 – E quanto ao conforto térmico da residência?

19 – Como ficam as instalações eléctricas e hidráulicas?

20 – E se eu quiser depois reformar, acrescentar ou eliminar ambientes na casa, é fácil?

1 – Porquê casa de madeira?

Muitos fazem essa pergunta porque, dado o grande predomínio das construções de alvenaria no nosso País, ficam com dúvida sobre se a casa de madeira tem realmente vantagens sobre a sua alternativa. Existem países, como os Estados Unidos, Canadá, vários Países do Norte da Europa, onde acontece o contrário, ou seja, as casas de madeira são a esmagadora maioria entre as residências daquelas Nações.

Algumas qualidades que favorecem a casa de madeira de padrão Casema:

a) Excelentes condições de habitabilidade

b) Rapidez na construção;

c) Racionalidade da obra e ausência de desperdício de materiais;

d) Acabamentos de forma prática e eficaz;

e) Facilidade de manutenção;

f) Facilidade na execução de alterações futuras;

g) Possibilidade de desmontagem e mudança, com pouquíssimas perdas de material;

h) Durabilidade de gerações;

i) Baixo custo de conservação;

j) Conforto térmico;

k) Beleza e nobreza do material;

2 – A casa de madeira arde?

Ao contrário do que muita gente pensa, é tão difícil uma casa de madeira arder quanto qualquer outra. Ainda mais as madeiras de alta densidade utilizadas pela CASEMA.

As madeiras de alta densidade têm como característica a queima lenta, de forma que as altas temperaturas necessárias para a propagação da chama demoram a ser transmitidas, facilitando o seu confinamento e controle.

Claro que a secção dos elementos de madeira também são importantes. Quanto maior a secção, maior a sua resistência.

Na maioria das nossas construções utilizamos madeiras estruturais com elevadas secções.

3 – O conforto acústico é bom?

A acústica de um ambiente é afectada pela distribuição dos móveis e demais objectos de decoração. Além disso, a espessura das paredes, quer em madeira maciça, quer com os isolamentos utilizados, permite um excelente desempenho nesse aspecto.

4 – Preciso de mão de obra especializada?

A mão de obra necessária para construir uma casa CASEMA é, com excepção do carpinteiro ( montador ) do kit, exactamente a disponível no mercado para quaisquer tipos de obras. Ou seja, o pedreiro necessário para as fundações e acabamento do telhado, electricista, canalizador, pintor, etc., podem ser contratados pelo cliente entre os profissionais de sua confiança ou bem recomendados, existentes na região em que está localizada a construção, ou optar por entregar todos os serviços á CASEMA.

Quanto aos carpinteiros, a CASEMA responsabiliza-se pelas equipas profissionais qualificadas para o trabalho, que construirá a obra de acordo com as exigências do projecto.

5 – Posso fazer meu próprio projecto?

Sem dúvida. Além dos projectos padrão sugeridos pela CASEMA, que visam cobrir um variado leque de necessidades, o cliente pode não só praticar mudanças nesses projectos padrão, com o fim de adequá-los às suas necessidades específicas, como também trazer seus próprios desenhos e ideias.

Qualquer casa de um ou dois ou três pavimentos, térrea ou sobre laje, pode ser construída pela CASEMA, geralmente com poucas modificações em relação ao projecto ou ideia original do cliente.

A CASEMA preparará um croqui para estudo e apresentará uma proposta de orçamento com base no mesmo, sem qualquer compromisso.

6 – Quais as inovações nas casas Casema?

A nossa construção pode utilizar paredes estruturais de madeira com encaixes horizontais do tipo macho e fêmea que é amplamente difundido no mercado da América de norte a sul, onde inúmeras empresas adoptaram o método com poucas variações.

A CASEMA tem a trabalhar consigo profissionais com mais de 25 anos de experiência no mercado de casas de madeira, experiência que serve de suporte para o constante aperfeiçoamento das nossas casas.

Assim, a CASEMA reúne no seu pacote tecnológico alguns elementos que, se não são, em alguns casos exclusivos, são-no se considerados em conjunto, o que define uma construção coerente. Como por exemplo:

a) Uniformidade das espécies utilizadas em cada função estrutural. As madeiras são utilizadas segundo sua adequação técnica ou estética, mas não há mistura dentro de um mesmo elemento construtivo.

b) A profundidade dos encaixes entre as peças de parede é maior que a média do mercado, garantindo estanquecidade total.

c) As prumadas, peças verticais para alinhamento das paredes, têm secção de 12×12cm, com canais de 3cm de profundidade, visando igualmente garantir total estanquecidade ( Isto no caso de utilização de madeiras duras ).

d) Os pilares que apoiam as varandas são maciços na secção 14×14cm ou 16×16cm, melhorando o aspecto estético do conjunto.

e) Os caibros na verdade são vigotas, já que têm a bitola 4,5×11cm em madeiras duras e de 4×23,5 cm em madeiras mais macias, que, além de maior robustez, garantem um colchão de ar maior entre o forro e a telha, proporcionando mais espaço para colocação de isolamentos, ampliando o conforto térmico.

f) As janelas especiais de vidro duplo, hermeticamente fechadas, não permitem entradas de águas ou ventos até uma velocidade de 180Km/hora ( Testes efectuados em laboratório e certificados pelo CTB )

g) A opção exclusiva de parede dupla com 11,5 cm de espessura, é sem duvida uma mais valia no mercado das habitações em madeira exótica.

7 – Quanto dura uma casa de madeira?

Casas feitas de cerne de madeiras duras, como as da CASEMA, duram tanto ou mais que uma de alvenaria, exigindo muito pouca manutenção, que se restringe à renovação do verniz ou da pintura, quando estes se apresentarem desgastados, a verificação de tempos em tempos das condições das telhas, calhas e rufos, coisas que, de resto, são comuns em qualquer tipo de construção. Com alguns poucos cuidados a casa de madeira dura gerações, sempre preservando o conforto a beleza e a nobreza da madeira.

8 – O que vem a ser madeira nobre?

São consideradas madeiras nobres aquelas que, macias ou duras, têm elevadas durabilidade natural, bom aspecto geral, cheiro agradável ou ausência de cheiro, elevada estabilidade em todos os sentidos.

As madeiras nobres mais macias são utilizadas para fabricação de móveis finos e acabamentos sofisticados, algumas até em esquadrias e portas. As mais conhecidas são: mogno, cedro, imbuía, cerejeira, freijó, Pinho Oregon ou amendoim. Já as madeiras nobres duras têm, além das qualidades acima, alta resistência estrutural, e são usadas não só para a construção de casas, como também para obras de engenharia em que suas qualidades são imprescindíveis.

As mais destacadas desta classe são: ipê, cumaru, angico, jatobá, Itaúba, tatajuba, pau roxo, maçaranduba, sucupira, etc.

A peroba rosa continua a ser muito apreciada para a construção de telhados, mas, embora seja de óptima qualidade, não tem a mesma dureza e resistência das aqui referidas.

Existe ainda um terceiro nicho onde estão as madeira médias, que, sem terem altas qualidades estruturais como as duras, são também de óptimo aspecto e excelente durabilidade natural, o que as torna indicadas para elaboração de esquadrias, portas, batentes e outros usos em que o requisito estrutural não é importante.

Alguns tipos mais comuns são: angelim pedra, louro vermelho, louro preto, marfim (mais usada para assoalhos), andiroba, bacuri e muiracatiara.

9 – Uma casa de madeira é segura?

As paredes de madeira são tão resistentes quanto as de outros materiais.

Se a preocupação está relacionada à possível entrada de elementos indesejáveis com objectivos criminosos, pode-se dizer que as dificuldades ou facilidades são as mesmas que as de qualquer outro tipo de construção, ou seja, janelas, portas, telhado, são as vias de acesso normalmente utilizadas e nesse caso, tanto faz se a construção é de alvenaria ou de madeira.

Cumpre adoptar sempre as cautelas comuns em locais onde a segurança não é de todo garantida.

Colocação de grades em janelas, sistemas de alarme, vigilância particular, e claro apólices de seguro são os procedimentos que melhoram a segurança em qualquer situação ou qualquer que seja o tipo de construção escolhida.

10 – Quando chove pode entrar água?

A probabilidade de ocorrerem infiltrações numa casa de madeira é a mesma que numa casa de alvenaria, ou seja, não depende do material de construção utilizado e sim da correcta execução do emboço do telhado, o uso de telhas de boa qualidade, a aplicação bem realizada de calhas e rufos nos locais indicados, e assim por diante. A colocação de mantas impermeabilizantes (subcobertura) também é recomendada, qualquer que seja o tipo de construção.

“E se alguma peça de madeira empenar?”

Realmente, qualquer que seja o tipo e a qualidade da madeira, uma peça ou outra, dependendo de determinadas características peculiares à mesma, tais como distribuição das fibras, teor de humidade, esforços aplicados, etc., pode apresentar o defeito chamado empenamento.

Esse problema ocorre quase que somente durante a fase de secagem da madeira, ou seja, enquanto não atinge o teor de humidade de equilíbrio com o meio ambiente alguma peça pode empenar.

Como os componentes da casa são montados ainda com teor de humidade acima do ponto de equilíbrio, vai ocorrer uma secagem natural durante e após a construção da mesma e é esse o período – que geralmente dura por volta de seis meses, podendo chegar a um ano – sujeito ao fenómeno.

Na maioria dos casos nenhuma correcção é necessária, pois são ocorrências pouco pronunciadas e não trazem qualquer comprometimento estético ou funcional.

Nas raras ocasiões em que o empenamento é de natureza a afectar a aparência estética do conjunto ou dificultar a sua operacionalidade, o componente é substituído pela CASEMA sem ónus para o cliente.

Devido à funcionalidade das nossas construções, a eventual substituição de peças, feita por pessoal qualificado, é simples e rápida.

A própria construção da casa, com a solidarização total de todos os componentes, impede ou dificulta extremamente que unidades trabalhem de forma distorcida.

11 – Devo pintar ou envernizar a casa?

Isso depende do gosto do cliente.

A madeira aceita qualquer acabamento, seja verniz ou tinta.

O verniz, por ser transparente, permite preservar a aparência natural da madeira.

Nesse caso, é conveniente utilizar vernizes foscos, cuja textura realça o aspecto do material.

Para áreas externas, o verniz deve ser do tipo filtro solar, da melhor qualidade possível, pois é conhecida a pouca durabilidade dos vernizes quando expostos ao tempo.

A cada 2 ou 3 anos, dependendo da qualidade do produto utilizado, pode ser necessário um reenvernizamento externo.

Já as velaturas são bem mais duráveis em paredes externas. É um material com grande durabilidade, é repelente à água, incorpora componentes preservantes da madeira e é apresentado em diversas cores além do tipo incolor.

12 – A casa de madeira é realmente mais barata que a de alvenaria?

Se considerarmos uma casa de alvenaria com a mesma qualidade de acabamento e condições de habitabilidade, seguramente a alternativa em madeira será mais competitiva. Tanto pela rapidez da montagem, quanto pela facilidade do acabamento, passando pelas diversas economias no local das obras, os custos envolvidos poderão ser menores no caso da construção em madeira. Não há desperdício de material, já que o kit de madeira incorpora todos os componentes estruturais da casa (paredes, pilares, prumadas, vigas, caibros, ripas), além dos batentes, janelas, portas, forro, tabeiras, rodapé, e outros itens de acabamento.

Opcionalmente ainda podem ser incluídos no kit, o assoalho, deck, parapeitos e subcobertura.

O cliente só terá que providenciar a fundação de alvenaria, as telhas, pisos e os dispositivos eléctricos e hidráulicos, além da pintura e vidros, mas para isso e se assim o entender, conta também com uma ajuda e orientação da CASEMA, para facilitar o orçamento e aquisição dos mesmos.

No final, tudo resulta em obra racional, limpa e rápida, o que se traduz em economia adicional.

Caso pretenda a CASEMA poderá também efectuar a construção total ( chave na mão ).

13 – Uma construção em madeira é um bom investimento?

O que determina o valor de um imóvel é a sua localização, qualidade do acabamento, conservação, aspecto geral do enquadramento paisagístico, funcionalidade da planta, etc.

Nesse aspecto, uma residência em madeira de boa qualidade tem os mesmos condicionantes que construções em alvenaria e responde igualmente aos factores do mercado.

14 – Demora muito para construir uma casa de madeira?

Normalmente, em 90 dias contados do início das fundações a casa já estará pronta para ser habitada.

Considera-se 20 dias para o preparo da base, mais 25 dias em média para montagem do kit (casa de mais ou menos 130 m2), cobertura, instalação de portas e janelas, etc e os restantes 45 dias seriam necessários para os acabamentos, tais como colocação de pisos, execução da hidráulica, pintura (verniz ou tinta), vidros e execução das obras periféricas, tais como vedações, relvados, jardins, calçadas, portões, etc.

É comum clientes terminarem as suas casas em 60 dias. Outros demoram mais, mas, uma vez edificado a parte das madeiras, o cliente escolhe o timing que melhor lhe convém para ir executando as demais tarefas.

15 – De onde vêm as madeiras de que são feitos os kits?

As madeiras duras que constituem o kit CASEMA vêm do Pará e do Mato Grosso.

Hoje é uma exigência, rigidamente fiscalizada pelo IBAMA, que toda a empresa dedicada à produção de madeiras de lei tenha um projecto de manejo sustentado, de modo a garantir a perenidade da fonte de matérias primas, tanto pela reposição quanto pela indução da recuperação natural das áreas exploradas, mediante técnicas florestais constantemente aperfeiçoadas.

Toda a madeira bruta transportada no Brasil deve ser acompanhada de uma guia florestal que comprova a origem da mesma e sua adequação às normas federais.

A CASEMA, além disso, selecciona seus fornecedores considerando o efectivo comprometimento dos mesmos com os regulamentos vigentes emanados do IBAMA tendo em vista o correcto aproveitamento dos recursos naturais renováveis.

Muitas das madeiras macias que utilizamos são provenientes dos Estados Unidos, de florestas devidamente sustentáveis onde o mercado madeireiro vive em comunhão com a natureza, defendendo aquela que é a razão da sua sobrevivência.

16 – Casa de madeira está sujeita ao ataque de bichos?

Depende da madeira.

As madeiras macias, de baixa densidade, estão sujeitas ao ataque de cupins e caruncho.

Geralmente essas madeiras leves e macias são mais utilizadas para fabricação de compensados e móveis, confragens, andaimes, caixilharia, etc.

O cupim ( que não existe em Portugal ) não ataca o cerne de madeiras duras, de alta densidade, tais como angico preto, Itaúba, maçaranduba, jatobá, tatajuba, ipê, cumaru, sucupira preta e outras de características similares.

Existem algumas espécies mais macias, como o cedro, ou médias, como o angelim pedra, que também são muito resistentes ao ataque desses organismos.

As casas CASEMA são feitas somente com o cerne de madeiras nobres, principalmente angico, Itaúba e tatajuba, utilizadas nas partes estruturais da casa, tais como paredes, pilares, prumadas, vigamento do telhado, parapeitos, etc. Já as janelas e portas, bem como o forro, por suas próprias características, são confeccionadas com o cerne de espécies de média densidade, mas de resistência e durabilidade comprovadas.

Todas as madeiras que sejam mais macias são todas devidamente protegidas para que a sua resistência aumente significativamente a elementos destruidores, como bichos e fungos.

Hoje em dia existem muitos e bons produtos, tecnologicamente bem desenvolvidos que tornam muito mais fácil a preservação das matérias primas, sejam elas quais forem.

17 – A madeira apodrece sob efeito da humidade?

O que pode causar o apodrecimento de certos tipos de madeira, sob condições propícias, é o ataque de fungos que agem em presença de humidade constante e em contacto com o ar.

Algumas espécies têm mais susceptibilidade ao ataque de fungos; outras, mesmo nas mais adversas condições, são extremamente resistentes à actuação desses agentes.

Espécies como o angico, Itaúba, jatobá, maçaranduba, tatajuba, cumaru, ipê, etc, estão na categoria das mais resistentes.

Além disso, é praticamente impossível a reprodução, numa residência, das condições ideais para o ataque dos fungos, mesmo nas áreas molhadas como casas de banho e cozinha.

18 – E quanto ao conforto térmico da residência?

Você já notou que decks de piscinas são geralmente feitos em madeira?

Isso porque devido à baixa condutibilidade térmica desse material, a sensação de desconforto por variação de temperatura é muito menor do que a sentida no contacto com um revestimentos como a pedra, massas à base de cimento, metais, etc..

Dessa forma, justamente por não ser boa condutora de calor, a madeira tem características de alto conforto térmico, pois não reflecte no interior da residência, com rapidez, as variações da temperatura externa.

19 – Como ficam as instalações eléctricas e hidráulicas?

As instalações eléctricas e hidráulicas são muito simples de executar, pois não se exige quebra de paredes para instalação de tubagens, como é praxe nas obras de alvenaria.

Todas as instalações são feitas passando sobre o forro (no caso da eléctrica) e sobre as paredes – junto às colunas, sendo neste último caso recobertas com peças especiais de madeira que preservam a estética do conjunto e escondem totalmente a parafernália de cabos.

Os canos de água e esgoto, em sua maioria, passam sob o piso. Essa configuração de circuitos permite rápido e fácil acesso para manutenções e reformas, não sendo necessário quebrar nada para executá-las.

20 – E se eu quiser depois reformar, acrescentar ou eliminar ambientes na casa, é fácil?

Nas casas construídas pela CASEMA, é bastante simples a execução de alterações, acréscimos ou eliminação de paredes, desde que feitas, é claro, por profissionais habilitados pela empresa.

Qualquer questão mais que tenha, não hesite em contactar-nos!


© Copyright 2017 Casema